Sedentarismo e autocomiseração, o olhar do Tantra

A questão do sedentarismo e da autocomiseração está no dia a dia das pessoas. Colocar a si mesmo para “baixo” é muito comum. De forma geral, os estados de ânimo tem a ver com o estado dos humores do corpo, ou seja, os hormônios. O corpo não serve para ficar sentado o tempo todo, e uma hora ou outra a conta chega, com doenças.

Muitos, mesmo doentes, não despertam para o algo mais básico: o sentir interno. E assim, como se sentir com tudo o que está passando? Em nome de uma suposta quantia financeira, muitos abarcam sofrimentos sem perceber. Por exemplo: o corpo sofre em #silêncio quando a pessoa passa 8 horas (e muitas vezes muito mais) por dia sentada diante de um computador.

Com a sensibilidade desenvolvida, o corpo passa a não aceitar mais determinados comportamentos. Ou seja, na questão do nutrir ao seu corpo isso fica nítido! Se sentir o cheiro do embutido ultra processado e se permitir mastigar muitas vezes aquele “alimento” a pessoa, de forma natural e sem esforço, vai passar a rejeitar aquilo.

Mudança de hábitos para lidar com o sedentarismo e a autocomiseração

Assim, quando nos deparamos com o que as pessoas almejam percebemos o beco sem saída. Lidar com essas questões do sedentarismo e da autocomiseração tem a ver com hábitos. Dessa forma, colocar uma ou outra prática do Tantra ao longo do dia ajuda.

sedentarismo e autocomiseração

Tudo o que não faz sentido para o Tantra, cujo “sentido” é sentir, o que pode parecer um paradoxo, é a variável consciência. Assim, o tempo nos mostra que seguir a trilha também é viver melhor. A vida por si só é o presente. O Aqui e Agora é aquilo que existe. Questões do sobreviver são consequências menores de se estar no Tantra e viver a abundância, do ponto de vista latto.

Assim, a ideia é você olhar para sua vida de horizonte imediato, sem deixar de perceber o longo prazo. O aqui e agora apresenta muitas perspectivas de mudança. Então, se a questão é mudar de vida, vale a pena mudar um hábito. Por isso, o melhor hábito para iniciar é colocar uma meditação tântrica no dia a dia, ou uma técnica de Tantra Yoga. Tanto faz! O importante é começar aos poucos, para que grandes mudanças ocorram no médio e longo prazo.

Como na “teoria do caos”, o bater de asas de uma borboleta pode gerar um furacão. Assim, pequenas ações geram grandes mudanças no decorrer do tempo! Mas se a variável fundamental é a consciência, então utilize a melhor técnica de expansão de consciência para você.

Publicado originalmente em https://attitudetantra.com em 22 de Maio de 2021

Jogos duais e a sacada do caminhar da trilha do Tantra

É aí que mora a “sacada” do Tantra para o ato de se tornar livre: parar de perder tempo com os tais jogos duais, porque não vale a pena. Se um profissional de #Tantra abraça o dual, significa que não deixou de lado sua ansia de poder, e o caminho rumo à libertação ainda não foi abraçado. E tudo bem também.

Faz parte do crescimento individual passar por etapas. É normal que os jogos da matéria divirtam por um tempo (às vezes mais de uma vida). Então o caminho do Tantra está em encontrar o poder da redenção e o #fluxo daquilo que é o mais fácil. Sem orgulho de quaisquer #lutas.

Dos jogos duais com a fluidez e viscosidade

A matéria te mostra o que é restrito. Então aprender a lidar com o restrito é algo em que se deve mergulhar, para então acessar a dimensão do abundante. Isso porque é a partir do #chão que alguém se apoia para se levantar e se alçar às alturas.

Dentro do padrão da maior parte das pessoas, a busca pela fluidez é comum. Nós nos deparamos com o #fluido, mas nos vemos presos no que é viscoso. No meio do Tantra observa-se com frequência a luta contra certos comportamentos. Por exemplo, os 7 pecados capitais muitas vezes sofrem represálias. Deles, o que envolve uma dos maiores combates é o do #sexo e sexualidade.

Ora, dentro do contexto de ascensão da #Kundaliní, o praticante vai acessar ímpetos de #luxúria. Não existe amor verdadeiro sem o crescimento sexual pleno. São processos e etapas, como o maturar de uma árvore. Primeiro ocorre tal processo, depois outro. Assim, o desenvolvimento pessoal passa pelos 7 #pecados capitais. Sem viver os “pecados”, é impossível viver o valor das virtudes.

Ter essa noção de que os processos ocorrem em #etapas e que está tudo bem acolher a sombra e a parte “pecaminosa” de si, vai transformar os momentos de virtude em estados de plenitude.